sábado, 7 de maio de 2011

Os melhores filmes gays

No embalo da nova lei que reconhece a união gay, montei uma listinha com os melhores filmes de temática GLBT. Não tive que pensar muito, afinal não acho que há tantos filmes excelentes no gênero (que eu saiba)... Pras meninas então, há ainda menos (nenhum filme "lésbico" entrou no top 10, mas meus favoritos são Eu, Minhas Mães e Meu Pai (2010), Meninos Não Choram (1999) e o clássico Infâmia (1961)). Bissexuais não são levados muito a sério no cinema - são geralmente pessoas confusas, enrustidas, ou mulheres hetero se fingindo de bi só pra atrair os homens. Há pelo menos 1 filme ótimo sobre um transexual: Hedwig - Rock, Amor e Traição (2001) - e claro, não vamos esquecer da infame trilogia de John Waters tão comentada aqui: Pink Flamingos (1972), Problemas Femininos (1974) e Desperate Living (1977). Rocky Horror Picture Show (1975) de certa forma é sobre um travesti, mas como o personagem também é extraterrestre não sei se dá pra considerar (pra um estudo mais "aprofundado" do travestismo, assista Glen ou Glenda? (1953), de Ed Wood, o pior diretor de todos os tempos).

Deixei alguns filmes que eu adoro fora da lista como Cidade dos Sonhos (2001), Um Dia Muito Especial (1977), Os Sonhadores (2003) e Longe do Paraíso (2002), pois apesar de abordarem a temática gay, esse não me pareceu ser o tema central dessas histórias. Vamos lá:

(sem ordem de preferência)


Direito de Amar (2009)
Dirigido pelo estilista Tom Ford, é o mais novo da lista e é um dos filmes mais elegantes que eu já vi. O drama se passa nos anos 60 e mostra a vida de um professor após a morte de seu namorado num acidente.









O Talentoso Ripley (1999)
Thriller brilhante de Anthony Minghella baseado no livro de Patricia Highsmith, que já tinha sido adaptado nos anos 60 em O Sol por Testemunha com Alain Delon. É um dos retratos mais inesquecíveis e sinistros de uma paixão platônica.








Torch Song Trilogy (1988)
Baseado na peça vencedora do Tony, de Harvey Feirstein, que escreveu e estrelou tanto a produção da Broadway quanto o filme (alguns podem lembrar dele como o cara excêntrico e rouco de Independence Day). É um filme singular; um épico sobre a vida amorosa de um artista em Nova York durante os anos 80. Extremamente pessoal e reflexivo.







Querelle (1982) / O Direito do Mais Forte (1975)
Dois do prolífico e intenso cineasta alemão Rainer W. Fassbinder, que era gay assumido e morreu de overdose aos 37 anos de idade, deixando pra trás mais de 30 filmes escritos e dirigidos por ele, alguns considerados obras-primas. Querelle é baseado na obra de Jean Genet e, se desse pra descrever em poucas palavras, imagine um sonho erótico com uma ópera sobre o Village People (!). O Direito do Mais Forte é uma das histórias de amor mais pessimistas e amargas que eu já vi, uma declaração de ódio contra a humanidade, e ainda assim brilhante.




Milk - A Voz da Igualdade (2008)
Esse acho que todo mundo já viu. Um filme gay tradicional, com elenco, roteiro, produção, tudo de primeira. Conta a história real de Harvey Milk, ativista e político que foi assassinado na Califórnia enquanto lutava pelos direitos gays.








Filadélfia (1993)
Esse foi o primeiro filme "mainstream" que eu vi sobre um homossexual. Faz tempo que não assisto mas estou apostando que ele continua tão bom quanto achei na época. Tom Hanks levou o Oscar (se não me engano foi o primeiro pra um ator num personagem assumidamente gay). Acima de tudo, é um ótimo filme de tribunal.







De Repente, No Último Verão (1959) / Gata em Teto de Zinco Quente (1958)
Dois clássicos baseados em peças do premiado dramaturgo americano Tennessee Williams. Dramas de família intensos, ambos estrelados por Elizabeth Taylor, com diálogos violentos, inteligentes, e nos dois casos a temática gay é revelada com sutileza, até por causa da censura da época, mas é a chave de todo o conflito.





Shortbus (2006)
O filme mais sexualmente chocante que já vi numa sala de cinema. Comédia dramática de John Cameron-Mitchell (de Hedwig), extremamente criativo, original, pornográfico e hilário, conta a história de vários personagens em crise emocional que se encontram numa casa underground em Nova York.









C.R.A.Z.Y. - Loucos de Amor (2005)
Filme canadense (falado em francês) sobre um adolescente descobrindo sua sexualidade enquanto cresce numa família conservadora em Quebec nos anos 60/70. Acima de tudo é um retrato de família dos mais sensíveis que já vi, e descreve melhor do que qualquer outro filme o processo psicológico de uma criança que já sabe desde cedo não é exatamente aquilo que a família espera.






 
O Segredo de Brokeback Mountain (2005)
Pra mim continua sendo um marco no cinema e na nossa cultura. O que mais me impressiona é a capacidade do filme de tornar a questão deles serem homens quase irrelevante - o romance é contado em termos essenciais, registrando personalidades na tela - duas almas distintas, de forma tão habilidosa que qualquer adulto assistindo o filme é capaz de se identificar com a história, independentemente de sua orientação. Ennis é um dos personagens mais perturbadores que eu já vi. Alguém tão atormentado por medos, conflitos, traumas, que se torna incapaz de perseguir sua felicidade ou mesmo de saber onde ela está ou mesmo se existe. A dor do final do filme é muito maior que a dor do fim de um relacionamento ou da perda de alguém - é a sensação trágica de não ter vivido a própria vida; de ter traído a própria consciência; desperdiçado o maior valor que já teve, derrotado pelo medo, pela confusão, pela falta de auto-conhecimento, de auto-estima e de estrutura psicológica.

Algumas outras dicas:

O Criado (1963)
Morte em Veneza (1971)
Victor ou Victória? (1982)
O Beijo da Mulher Aranha (1985)
Banquete de Casamento (1993)
Três Formas de Amar (1994)
Será que Ele É? (1997)
Procura-se Amy (1997)
Saindo do Armário (1998)
Plata Quemada (2000)
Kinsey - Vamos Falar de Sexo (2004)
Mistérios da Carne (2004)
De-Lovely - Vidas e Amores de Cole Porter (2004)
Verdade Nua (2005)
De Repente, Califórnia (2007)
Canções de Amor (2007)
Orações para Bobby (2009)

CONFIRA OUTRAS LISTAS:

Os melhores filmes de terror
Os melhores filmes de comédia
Os melhores filmes românticos
Os melhores filmes de ficção-científica
Os melhores piores filmes
Os melhores filmes de suspense
Os melhores musicais do cinema
As piores traduções de títulos
Os melhores filmes cult
Os melhores filmes brasileiros
Os melhores filmes de natal
Os melhores filmes gays
Os melhores filmes para a família

12 comentários:

renatocinema disse...

Querelle. Sempre ouvi falar bem.Sempre deixei para depois.

Milk adorei. Perfeita obra.

Filadélfia é genial, em minha visão.

O Segredo de Brokeback Mountain assino embaixo. Merece o primeiro lugar na lista.

Só achei uma pena Cidade dos Sonhos não estar na lista.

Bela lista.

lcattapreta disse...

adoooooro C.R.A.A.A.A.A.Z.Y.

Rafael W. disse...

Brockeback Mountai merecidamente em 1° lugar! Mas Direito de Amar tinha que estar em 2° ou 3°, é um filme lindão *___*

http://cinelupinha.blogspot.com/

Leonardo de Jesus disse...

Assisti recentemente Rope, do Hitchcock, e percebi que a dupla de assassinos é claramente um casal gay. Quando assisti o filme em minha infância não havia percebido isso. Você consideraria um filme gay?
abraço

Caio Amaral disse...

Renato, Querelle é bizarro... Vale a pena ver, não tem nada muito parecido, rsss!

Leo, acho que sim.. Mas o fato deles serem gays me parece apenas algo "a mais" no filme - a história ainda funcionaria se eles fossem hetero. O principal ali é o suspense do corpo escondido no baú, o lance técnico de ser tudo filmado em plano-sequência, etc. Vc viu "Strangers on a Train" - esse talvez seja ainda mais gay que Rope, hehe.

Lucas Rangel disse...

Eu gosto muito de Transamerica na temática Trans, só a caracterização

Anônimo disse...

Sua lista ficou sem alguns dos melhores filmes do gênero, como Just Une Question D´amor (Apenas uma questão de amor), que fez a frança para, Maurice que com certeza ficaria entre os melhores de todos os tempos, Delicada atração que não pode faltar em nenhuma lista dos 10 mais e claro delicada relação, uma lista sem Minha adorável lavanderia, não é uma lista dos melhores filmes gays, Cadê Garotos de programa? Com uma das melhores atuações do cinema. E essa sua lista de dicas devia ter Caindo na Real, Wilder , Tempestade de verão, para um soldado perdido, Lírios e não pode faltar o brasileiro Madame satã. E que história é essa de não ter tantos excelentes filmes gays, existem mais de 500 EXCELENTES filmes gays, que com certeza um fã de cinema não pode deixar de assistir, desde comedias, dramas, documentários, biografias, romances e muito mais. Essa sua lista precisa de uma revisão. Antes de fazer essa lista, você devia ter visto mais filmes gays. Se você quiser eu indico mais alguns filmes que vão te fazer chorar e muito como Bent. E sobre os filmes lésbicos eu conheço vários com ótimas atuações, direção, história...

Caio Amaral disse...

Preciso rever Garotos de Programa, mas já vi a maioria desses que você citou (Bent, Delicada Relação, Delicada Atração, Madame Satã..) e não incluí pois não gostei muito mesmo.

Alexandre disse...

Faltou Má Educação do Almodóvar... Sério, é genial. Podia estar entre os 3 primeiros.

Caio Amaral disse...

Tb acho ótimo o Má Educação, mas o tema dele parece ir muito além da homossexualidade.. quando lembro do filme lembro mais da critica à igreja, dos abusos, etc..

Anônimo disse...

Adorei sua critica sobre o filme Brokeback Mountain. Gostei muito do filme. Bons filmes são aqueles que te emocionam, causam revolta, te deixam pensativo no final, te fazem se colocar no lugar do personagem, e se fosse eu? Brokeback tem isso e um pouco mais Alguns filmes da sua lista ainda não vi, mas já ouvi falar. Das listas que eu vi aqui pela internet, a sua foi a que me chamou mais atenção, é diferente, não tem os filmes populares, tem filmes como Querelle, o talentoso Ripley e Gata em teto de zinco quente.

Agnaldo Freire YOUTUBE disse...

YOUTUBE: Acústico Sal da Terra
http://www.youtube.com/watch?v=-jGgzZpsRYU